(...) Eu canto em português errado. Acho que o imperfeito não participa do passado. Troco as pessoas. Troco os pronomes ( ).

June 12, 2018 | Author: Iasmin Bonilha Pinto | Category: N/A
Share Embed Donate


Short Description

1 (...) Eu canto em português errado Acho que o imperfeito não participa do passado Troco as pessoas Troco ...

Description

♪ ♫ “(...) Eu canto em português errado Acho que o imperfeito não participa do passado

Troco as pessoas Troco os pronomes (…)”. ♪ ♫ (Meninos e Meninas – Legião Urbana)

ALGUMAS ESCOLHAS LINGUÍSTICAS TORNAM O IDIOMA MAIS EXPRESSIVO

... caso contrário ...

LINGUAGEM ► capacidade inata que o ser humano tem de se comunicar. não-verbal

verbal

LINGUAGEM CÓDIGO ► conjunto de signos e regras que permitem a construção da mensagem e a comunicação com os outros.

LÍNGUA ► sistema de signos convencionais usados pelos membros da mesma comunidade. formal (padrão)

informal (coloquial)

LÍNGUA

FALA ► uso individual da língua. VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS ► modo pelo qual a língua se diferencia sistemática e coerentemente, de acordo com o contexto no qual os falantes se manifestam verbalmente.

a) variação diacrônica (tempo) Antigamente “Antigamente, as moças chamavam-se mademoiselles e eram todas mimosas e muito prendadas. Não faziam anos: completavam primaveras, em geral dezoito.” (Carlos Drummond de Andrade)

b) Variação diatópica (região geográfica) sorvete de casquinha (Rio de Janeiro) x sorvete no cascalho (Salvador)

c) Variação diastrática (grupos sociais ou culturais) CHOPIS CENTIS Eu “di” um beijo nela E chamei pra passear. A gente fomos no shopping Pra “mode” a gente lanchar. Comi uns bicho estranho, com um tal de gergelim. Até que “tava” gostoso, mas eu prefiro aipim. (Dinho e Júlio Rasec, encarte CD Mamonas Assassinas, 1995.)

d) Variação diafásica (contexto) Um médico usar uma linguagem específica em um congresso de ortopedia.

gramatical x agramatical Na minha avó estava varanda. Minha avó estava na varanda.

Gramática (normativa): conjunto de normas a serem obedecidas por todos os usuários do sistema linguístico. a) Fonologia ... estudo dos sons da língua (fonemas)

b) Ortografia ... estudo da grafia correta das vocábulos em relação ao sistema vigente c) Morfologia ... estuda a estrutura, formação, classificação e as flexões das palavras

d) Sintaxe ... estudo da construção das frases a partir do agrupamento de palavras e) Semântica ... Estudo das significação das palavras

ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO E FUNÇÕES DA LINGUAGEM

1. Função Emotiva ou Expressiva é a centrada no emissor; a linguagem é subjetiva e há emprego da primeira pessoa (verbos e pronomes). A interjeição é típica dessa função que é usada com a intenção de manifestar emoções e sentimentos. A poesia lírica é exemplo de destaque da função emotiva da linguagem, como vemos a seguir:

Epígrafe Sou bem-nascido Menino, Fui, como os demais, feliz. Depois, veio o mau destino E fez de mim o que quis. [...] BANDEIRA, Manuel. Seleta em prosa e verso. 4. ed. Rio de Janeiro:

2. Função Conativa ou Apelativa: centrada no receptor, deixa transparecer a intenção de persuadi-lo; os verbos, normalmente, são empregados no modo imperativo e os pronomes frequentes são “tu” e “você”. Os textos publicitários ilustram bem essa função:

3. Função Poética: é aquela cujo alvo é a mensagem. Também conhecida como função estética por apresentar uma linguagem considerada criativa e afetiva, recorrendo à sonoridade, às figuras de linguagem, ao ritmo, às rimas etc. “Se tu me amas, ama-me baixinho não o grites de cima dos telhados Deixa-me em paz os passarinhos Deixa-me em paz a mim. Se me queres, enfim, Tem de ser bem devagarinho, Amada; que a vida é breve, e o amor mais breve ainda... ” Mário Quintana (1982, p. 41)

Vale ressaltar que a função poética não é característica exclusiva de versos, mas também da prosa poética, podendo manifestar-se em textos publicitários: - Tem dor de cabeça? - Tome melhoral; é bom e não faz mal.

4. Função Fática: é a responsável pela necessidade ou desejo de comunicar; centra-se no canal de comunicação e objetiva estabelecer, manter ou cortar o contato. O fragmento transcrito exemplifica bem essa função:

Ele: - Pois é. Ela: - Pois é o quê? Ele: - Eu só disse pois é! Ela: - Mas “pois” é o quê? Ele: - Melhor mudar de conversa porque você não me entende. Ela: - Entende o quê? Ele: - Santa Virgem, Macabéa, vamos mudar de assunto e já. Clarice Lispector. A hora da estrela. 4. ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olímpio, 1978.

5. Função Metalinguística: é a centrada no código; é a linguagem explicando a própria linguagem. São exemplos os textos explicativos e as definições. Os dicionários são modelos de caráter metalinguístico, assim como as enciclopédias, as gramáticas e os livros didáticos. Observe: O que é lexicografia? Ciência do lexicógrafo, ou seja, autor de dicionário ou de trabalho a respeito de palavras duma língua; dicionarista; lexicólogo.

6. Função Referencial: é a que tem como alvo o referente, ou seja, quando o texto apresenta caráter informativo, criando efeito de objetividade; não há comentários nem juízos de valor.

View more...

Comments

Copyright � 2017 SLIDEX Inc.
SUPPORT SLIDEX