mais seminário EXPANSÃO ENTREVISTA EMPRESA PROMOVE CONCEITO DE SEGURANÇA ALIMENTAR JUNTO A PRODUTORES DE TRIGO.

October 9, 2018 | Author: Lorenzo Campelo Affonso | Category: N/A
Share Embed Donate


Short Description

Download mais seminário EXPANSÃO ENTREVISTA EMPRESA PROMOVE CONCEITO DE SEGURANÇA ALIMENTAR JUNTO A PRODUTORES DE TRIGO....

Description

mais

Ano 15 • N° 36 • Dezembro de 2010

seminário

EMPRESA PROMOVE CONCEITO DE SEGURANÇA ALIMENTAR JUNTO A PRODUTORES DE TRIGO.

ENTREVISTA

Márcio Rodrigues fala sobre as mudanças no mercado de panificação e confeitaria.

EXPANSÃO Nordeste Alimentos investe R$ 26 milhões na ampliação de sua capacidade produtiva.

editorial

Crescimento com qualidade Dois temas polarizaram a atenção dos brasileiros

aumentando a de Antônio Prado-RS um outro tanto,

em 2010: o crescimento econômico do país e as

projetando-se, assim, para 2011, um crescimento

eleições, em que acabamos de eleger a primeira

de 35% em relação a este ano. Ao mesmo tempo,

mulher presidente. Apesar da continuidade do

modernizamos processos, para propiciar maior

governo atual, a nossa primeira presidente tem um

segurança alimentar, diversificamos nosso portfólio

simbolismo ligado à maior inserção da mulher em

de produtos, e alcançamos, em novembro, a

todas as instâncias, sejam políticas ou econômicas.

Certificação ISO 9001, que passa a fazer parte do

Estes dois acontecimentos propiciam uma outra

Sistema Integrado de Gestão da Nordeste Alimentos

leitura, ligada ao nosso setor. Na medida em que

(SIGNA).

a população de menor renda aumenta seu poder

Também

aquisitivo, uma das primeiras contas a ser ampliada

qualificação de nossas ações, com o lançamento do

é a do consumo de alimentos. Este fato, aliado à

Centro de Inovação da Nordeste Alimentos (CINA),

maior participação das mulheres no mercado de

onde estaremos revendo os produtos existentes e

trabalho, traz tendências como a conveniência e

lançando alternativas que estejam alinhadas com as

praticidade (economia de tempo), a saudabilidade

novas demandas de nossos clientes e consumidores.

e bem-estar (preocupação com a nutrição), a

Todo este conjunto de ações foi orientado por

confiabilidade e qualidade (fidelidade à marca), a

nossos valores, que estão alicerçados na ética,

sensorialidade e o prazer (indulgência via comida

na capacitação dos funcionários, nos produtos de

gostosa e atraente) e a sustentabilidade e a ética

qualidade, na melhoria contínua de processos, na

(ligados ao meio ambiente e à sociedade).

eficiência e nos resultados, bem como na consistência

A Nordeste Alimentos pôde progredir ao longo

e seriedade do nosso trabalho, que sempre acabam

de seus 64 anos de existência por estar sempre

prevalecendo.

atualizada com as demandas de seus clientes e consumidores. Isto tem nos obrigado, por um lado, a rever o portfólio de nossos produtos e serviços, e, por outro lado, a crescer junto com o mercado.

um

novo

processo

de

Que este processo de renovação seja extensível a todos que nos lêem, e que 2011 seja um ano pleno de desafios e oportunidades, com alimentos que propiciem muita saúde!

Para tanto, em 2010, ampliamos a capacidade

Valdomiro Bocchese da Cunha

da unidade de Pinhais-PR em 30%, e estamos

Diretor-Presidente

EXPEDIENTE Mais Nordeste: Informativo anual da Nordeste Alimentos S.A. Distribuição gratuita. Edição e textos: Heloisa Mezzalira (Mtb. 16.596) Fotos: Airton Nery e acervo Capa: Vossa

2

iniciamos

Editoração: Vossa Impressão: Grafilme Tiragem: 15.000 exemplares Endereço para contato: Av. dos Imigrantes, 105 Antônio Prado - RS - CEP 95250-000 - Cx postal 45 E-mail: [email protected] Fone: (054) 3293.1088 Fax: (054) 3293.1602 Atendimento ao Consumidor: 0800 9790102

novidades

Conquista da certificação ISO consolida sistema de qualidade Nordeste

Adequação às normas ISO exigiu reuniões semanais com representantes de todas as áreas da empresa.

O certificado emitido pela DNV (Det Norsk Veritas

evidenciou

Ltda) chegou em novembro de 2010, para validar o

implementação

esforço de mais de um ano de trabalho, envolvendo

programas como 8S,

equipe e gestores em reuniões semanais. A

o BPF (Boas Práticas

certificação atesta a adequação dos processos

de

da Nordeste Alimentos aos padrões internacionais

o

de qualidade da norma ISO 9001, e confere à

de Perigo e Pontos Críticos de Controle), versão

empresa uma visão interligada de seus processos

brasileira do International Hazard Analysis Control

nas áreas de produção, administrativas e comercial,

Points – HACCP, que visa garantir a segurança de

alinhando-os com o princípio da melhoria contínua.

alimentos dos produtos através da prevenção.

A conquista deste certificado também reafirma o compromisso da empresa com a qualidade de seus produtos, a segurança e satisfação de seus clientes, orientação que a acompanha desde a origem. Nos últimos anos, este compromisso se

com

Fabricação) APPCC

a de

e

(Análise

A tarefa de adequação às normas ISO foi coordenada pela área de Garantia da Qualidade, com envolvimento direto do SIGNA – Sistema Integrado de Gestão Nordeste Alimentos, e orientação da consultoria especializada Planquality.

3

novidades

Linha Nordeste

de cara nova Acompanhando o ritmo de padronização de processos, as embalagens dos produtos Nordeste também foram realinhadas, com o intuito de facilitar a identificação de cada item e sua associação com a marca. Confira, no encarte, o novo layout das linhas domésticas e profissionais, que incluem farinhas, misturas para pães e bolos, massas e fermentos

Nordeste Alimentos em linha direta com você: conheça nossos canais de comunicação Do Clube do Cliente ao blog, do informativo

correio, de acordo com a necessidade de

Mais Nordeste à newsletter e ao site,

cada cliente, porque você continua sendo

passando pelo atendimento direto ao

a nossa prioridade, o ponto de partida para

consumidor (linha 0800). Nos últimos anos,

o desenvolvimento de nossos produtos,

os canais de comunicação da empresa

a motivação para a melhoria contínua de

com seus clientes foram ampliados,

nossos processos. Veja a seguir, como

acompanhando a evolução tecnológica,

acessar e quais informações e serviços são

tendências e hábitos dos consumidores.

disponibilizados em cada um de nossos

Temos meios de comunicação que podem

canais de comunicação.

ser acessados pela internet, telefone ou

4

comunicação Site é porta de acesso a outros canais

www.nordestealimentos.com.br No site, você encontra receitas, novidades e detalhes sobre os produtos Nordeste, notícias sobre a empresa e o setor de alimentos, um pouco da história do trigo e da Nordeste Alimentos, dicas de alimentação, mensagens de clientes, calendário de cursos, lista de representantes, entre outros itens. O site também é porta de acesso a promoções e outros canais de comunicação da Nordeste, como o Clube do Cliente, o Blog Sabor e Saber, o informativo Mais Nordeste, atendimento 0800, endereços e fones de contato da empresa. E, se você quiser deixar a sua mensagem, dúvida ou sugestão, vai encontrar ali também um espaço para dar o seu recado.

Atendimento direto ao consumidor

0800 9790102 Este é o canal certo para quem quer fazer sugestões, críticas, tecer comentários ou tirar dúvidas sobre nossos produtos e serviços, de forma ágil e segura. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 18h. Através deste número, você também pode solicitar visitas de nossa equipe técnica em seu estabelecimento comercial, para demonstração de produtos e consultoria sobre seu negócio.

BLOG SABOR E SABER www.nordestealimentos.com.br/blog

Newsletter É o informativo eletrônico da Nordeste

Informações sobre as propriedades e o valor nutricional

Alimentos.

dos alimentos é o tema principal do blog, que também dá

sobre alimentos, apresentação de

acesso a receitas, produtos e ao Clube do Cliente. Você

produtos e notícias, e chega à sua

também pode participar, enviando seus comentários.

caixa de e-mails uma vez por mês.

Reúne

receitas,

dicas

5

comunicação Clube do Cliente tem 35 mil sócios ativos

Informativo

Mais Nordeste É o veículo de

Troca de receitas, dicas e truques de cozinha.

comunicação

Eis a razão de ser deste clube, fundado em 1997,

mais antigo da

desenvolvido em torno da qualidade dos produtos

empresa,

com

Nordeste, e que ganha novos adeptos a cada dia.

de

O clube reúne donas de casa e chefes de família,

existência. Trata-

padeiros, confeiteiros, homens, mulheres e jovens

se de um informativo impresso que reúne as

apaixonados pela gastronomia. Para fazer parte do

novidades da Nordeste Alimentos ao longo do

clube, basta se cadastrar. Além de receber receitas

ano. Atualmente, o Mais Nordeste também pode

sob pedido, o tratamento VIP dirigido aos sócios do

ser acessado através do site da empresa.

clube ainda dá direito a cartão de aniversário.

16

anos

“Me cadastrei durante uma visita ao moinho e, logo depois, recebi a correspondência em casa. Ainda não tive tempo de entrar no site, porque estou com muito trabalho na confecção, mas fiquei muito contente, e acho que vou tirar proveito das receitas que encontrar ali, porque eu faço muita coisa em casa, o pão, por exemplo, e só com a farinha Nordeste.” Ivete Susin Pradi, 40 anos, proprietária de confecção

“O Clube, pra mim, tem sido muito útil, porque estou morando longe da família, não tenho mais a mãe por perto, para cozinhar, e se eu quiser comer bem, tenho que me virar. Soube do Clube do Cliente por uma vizinha, e acesso o site sempre que quero fazer um bolo, uma sobremesa diferente.” Ricardo Andretta, 20 anos, estudante universitário

“Faz tanto tempo que nem lembro mais como foi que entrei no Clube do Cliente. É que eu só uso a farinha Nordeste para fazer o pão, faço todas as semanas, acho que foi por isso que fui convidada. Eu gosto de fazer parte do Clube porque recebo receitas boas e eles sempre lembram do meu aniversário.” Ivone Maria Andretta, 65 anos, dona de casa

6

saiba mais

Na cozinha com o cliente Preparar receitas também faz parte da rotina da Nordeste Alimentos. Afinal, o dito popular “se aprende fazendo” também vale para o Moinho, que precisa saber como funcionam as farinhas e pré-misturas que produz. O conhecimento adquirido é compartilhado com clientes, através de orientação técnica a panificadoras, confeitarias e indústrias. Os apaixonados pela arte da panificação e pela gastronomia em geral também têm vez, através de cursos dirigidos a consumidores finais. Além de oficinas esporádicas, este ano, a empresa promoveu cursos regulares em Porto Alegre, em parceria com a Companhia Zaffari, e em Lageado, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais da cidade. Pães especiais, cucas, brownies, pastéis, rocambole, muffins, roscas, pão de mel e outras delícias fizeram parte da programação. O técnico em panificação da empresa, Silvio Santos, pilotou os cursos no atelier de culinária do Zaffari, em Porto Alegre. Em Lageado, os cursos foram ministrados pela culinarista Miriam Pedotti, responsável pelas receitas que aparecem nas embalagens dos produtos Nordeste.

Alunos da escola de gastronomia UCS/ICIF conhecem a empresa A visita dos futuros chefs de cozinha aconteceu no dia 16 de setembro, quando eles puderam conferir de perto onde e como são feitas as farinhas que eles utilizam na escola que a Universidade de Caxias do Sul mantém em parceria com o Italian Culinary Institute for Foreigners (ICIF).

Das vitrines do mercado às festas comunitárias, a Nordeste está onde o cliente está A empresa levou seu mix de produtos às principais feiras do setor supermercadista da região Sul do Brasil: Expoagas, em Porto Alegre, Exposuper, em Santa Catarina, e Mercosuper, no Paraná. Além de fortalecer laços e engatilhar negócios com clientes e fornecedores do varejo, ao longo de 2010, a Nordeste Alimentos também prestigiou várias festas comunitárias, com degustações e bolos gigantes, preparados pelos especialistas em panificação e confeitaria da empresa. Confira em nosso site: www.nordestealimentos.com.br.

Estande da Nordeste na Expoagas 2010, maior feira do setor supermercadista do estado do Rio Grande do Sul.

7

expansão

2010/2011: NORDESTE ALIMENTOS INAUGURA 2ª DÉCADA DO SÉCULO XXI COM AVANÇOS TECNOLÓGICOS E AMPLIAÇÃO DA SUA CAPACIDADE PRODUTIVA. Os investimentos visam não só a ampliação da capacidade produtiva, que salta de 240 mil para 320 mil tons/ano, como o aumento da flexibilidade operacional, da garantia da qualidade e da produtividade, com vistas a aumentar também a competitividade da marca no mercado. O plano de expansão foi concebido em 2009 e envolve uma cifra de R$ 26 milhões, distribuídos entre construção civil e equipamentos para a matriz, em Antônio Prado, no Rio Grande do Sul, e a unidade de Pinhais, no Paraná. A implementação teve início em julho, em Pinhais, onde o plano já foi executado, e segue com as obras em Antônio Prado, com

Unidade Pinhais: automação de todo o processo industrial ampliou a capacidade de moagem e envase de farinhas, de limpeza e preparação do trigo.

previsão de conclusão para julho de 2011. Em Pinhais, a aquisição de equipamentos de última geração e a automação de todo o processo industrial ampliaram a capacidade diária de moagem de 300 para 400 toneladas, além da capacidade de envase de farelo e farinhas em big-bags e do empacotamento das embalagens de 1 kg. Os setores de limpeza e preparação do trigo também foram beneficiados com tecnologias mais avançadas. Elas propiciam a condição ideal para que cada tipo de grão obtenha

Envasamento de big-bags foi um dos alvos dos investimentos realizados em Pinhais.

o melhor rendimento na moagem, com melhor condição microbiológica para os produtos finais. A matriz, em Antônio Prado, concentra a maior parte dos investimentos, direcionados tanto ao aumento da capacidade de armazenagem do trigo, farinha granel e produtos acabados, como para o aumento da capacidade de moagem, melhoria de processos de limpeza e envase, adequação do lay-

Com a ampliação da área construída, a matriz ganha flexibilidade para melhoria de processos, maior capacidade

out industrial e automação. O plano engloba ainda

de armazenamento e

a construção de um novo depósito, de 2.500 m²,

moagem, além de um novo

que funcionará como centro de distribuição para o

depósito, de 2.500 m², que

varejo, e a construção de um novo prédio para a

funcionará como centro de

logística, faturamento, cozinha, refeitório, auditório,

distribuição para o varejo.

vestiários e sanitários

8

Antônio Prado:

atualidade

Filme brasileiro é premiado na Itália com o patrocínio da Nordeste Alimentos de pequenos milagres cotidianos à beira das estradas, na borda dos parreirais e dos caminhos das montanhas do território de Antônio Prado, na serra do Rio Grande do Sul, onde os imigrantes ergueram seus capitéis e, com sua fé, realizaram o sonho de construir a América. O apoio a esta obra se alinha à política da Fernando Roveda e Célia Gelain da Cunha, diretora da Nordeste Alimentos, durante a entrega do prêmio, em Verona, na Itália.

empresa para ações culturais, que tem um de seus focos voltado para a preservação da cultura

“Se milagres desejais”. Este é o título do documentário

da imigração italiana, berço da própria empresa.

que ganhou destaque no Festival das Artes de Verona,

A Nordeste Alimentos foi fundada e construída

realizado em agosto, na Itália, ao discorrer sobre

por

a fé e os sonhos dos imigrantes italianos. O filme,

herdando dos mesmos a fé, a valorização do

idealizado e produzido por Fernando Roveda, com

trabalho, a capacidade empreendedora e a visão

direção de André Constantin, percorre paisagens

voltada para o futuro, legado que a mantém viva

culturais do Brasil e da Itália, para narrar fragmentos

e próspera ainda hoje.

descendentes

de

imigrantes

italianos,

NORDESTE ALIMENTOS REÚNE FORNECEDORES EM SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA ALIMENTAR Conscientizar os produtores de trigo locais sobre a importância de programas e práticas que assegurem, no campo, os mesmos parâmetros de qualidade e segurança alimentar vigentes na Nordeste Alimentos, garantindo aos clientes e consumidores finais, produtos saudáveis, livres de contaminação. Este foi o objetivo do 1º Seminário do Trigo Nordeste Alimentos, realizado em setembro, em Antônio Prado, com produtores de trigo do estado do Rio Grande do Sul. Durante o encontro, os produtores tiveram a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre micotoxinas e residuais de pesticidas em grãos, com os agrônomos Dr. José Maurício Fernandes, da Embrapa Trigo de Passo Fundo, e Dr. Irineu Lorini, da Embrapa

Soja de Londrina, respectivamente. Segundo os especialistas, ao destacar estes temas, o seminário antecipou aos produtores parâmetros de qualidade para o trigo que já fazem parte de algumas legislações do exterior, e que devem ser incorporados pela legislação brasileira ainda em 2011. Na Nordeste Alimentos, porém, estes parâmetros já são realidade, seja porque são requisitos do padrão de qualidade da marca, seja porque a empresa fornece a clientes que produzem alimentos para exportação, os quais devem atender a legislações dos países importadores, muitas vezes, mais rigorosas que a brasileira. Depois de ouvir os palestrantes, os convidados

9

atualidade conheceram os programas e práticas de segurança alimentar implementados na Nordeste Alimentos. Os produtores de trigo puderam ver como a empresa aplica o BPF (Boas Práticas de Fabricação) e o APPCC (Análises de Perigos e Pontos Críticos de Controle), programas que reduzem os perigos de infecção e intoxicação alimentar e se estendem por toda a cadeia de fornecimento. Conheceram ainda o trabalho realizado pela equipe interna de Controle de Pragas, que monitora todos os setores

da Nordeste Alimentos em conjunto com empresa especializada, o programa de gerenciamento de resíduos e o programa 8S. A explanação deixou claro aos produtores as necessidades da empresa em relação ao trigo. Atualmente, além das qualidades reológicas, ou seja, seu potencial para a produção de massas, pães e biscoitos de qualidade, o trigo também é avaliado pela presença de micotoxinas e pesticidas, que devem corresponder aos parâmetros estabelecidos pela legislação

Panificação e confeitaria: mudanças no mercado consumidor exigem ampliação do mix de produtos e serviços Influenciadas pelas mudanças sócio-culturais e econômicas da sociedade brasileira, as panificadoras estão ampliando o seu mix de produtos e serviços, e transformando-se em verdadeiros centros de gastronomia, que conquistam uma fatia crescente no mercado de refeições rápidas. Neste novo contexto, as panificadoras não concorrem apenas entre si, mas também com lancherias, supermercados e até mesmo restaurantes, realidade que exige sistemas de produção e gestão cada vez mais profissionalizados. Na entrevista a seguir, Márcio Rodrigues, presidente do ITPC (Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria) e diretor fiscal da ABIP (Associação Brasileira da Indústria de Panificação e Confeitaria) fala sobre o tema e sobre o estudo Perspectivas para a Panificação e Confeitaria 2009/2017, que a ABIP realizou em conjunto com o Sebrae Nacional.

Mais Nordeste: O estudo da ABIP/Sebrae mostra que, com a saída das mulheres de casa para o mercado de trabalho, cresce o número de pessoas que fazem refeições fora de casa. O estudo também indica que as famílias estão com menos filhos e que aumenta o número de pessoas morando sozinhas. Qual é o impacto dessas mudanças nos negócios da panificação? Márcio Rodrigues: O primeiro impacto é de oportunidade. O setor de panificação tem procurado explorar muito essas

10

novas demandas, que são dos chamados alimentos prontos, oferecendo conveniência. Quando o cliente pensa em substituir o trabalho de preparar o jantar, ele passa em uma padaria e compra esses produtos. É na padaria que ele pensa em adquirir o lanche, consumindo o produto a um preço competitivo, e tendo a certeza que os produtos são frescos e recém preparados. Hoje, através das pesquisas, vemos que 60% do crescimento anual da panificação (gira em torno de 10 a 15%) vem do incremento destes novos serviços e novos tipos de produtos. A área de serviço com lanches

entrevista e refeições tem representado entre 10 e 30% do faturamento total de uma empresa de panificação, dependendo de sua localização. Essa tendência tem feito com que o setor cresça em faturamento, diminua os custos e fique mais competitivo. Com isso, temos o surgimento de grandes lojas que oferecem serviços completos, com número de itens cada vez maiores e mais significativos. Mais Nordeste: Como essas mudanças do mercado afetam o mix de produtos ofertado nas padarias? Márcio Rodrigues: As panificadoras precisam pensar em oferecer porções individuais, para pessoas que moram sozinhas, produtos bem apresentados e um mix amplo, capaz de atender os vários momentos de consumo. Isso obriga as empresas de panificação a se organizarem, porque se o processo de produção artesanal não for bem planejado, devido à variedade do mix, a produtividade cai significativamente. É importante agregar valor, subir o preço médio por quilo, para conseguir balancear a questão do aumento da variedade de produto com a produtividade, a fim de que os custos não inviabilizem todas essas oportunidades de negócios que o mercado está oferecendo para as empresas de panificação. Ter produtos para os vários momentos de consumo e perfis de consumidor também é muito importante. Versões light, embalagens diferenciadas, cuidados especiais na forma de apresentação do produto para o consumidor, a implementação do autosserviço, que dá maior liberdade para o cliente escolher seu produto, são fundamentais para incrementar o faturamento através da diversificação de produtos e serviços. Mais Nordeste: Variedade de pães e de produtos confeitados, de um lado, serviços de lanches e refeições, de outro. Essas são as tendências do mercado de panificação. Quais são os desafios e os riscos que este novo perfil de negócio impõe aos empresários do setor, sobretudo àqueles de menor porte? Márcio Rodrigues: A ampliação do mix tem uma tendência a reduzir

a produtividade na produção, pela complexidade de fazer lotes pequenos, aumentando o número de pessoas envolvidas no processo produtivo e encarecendo os produtos, principalmente porque o custo da mão de obra representa cerca de 40% da composição de custo dos produtos panificados. O grande desafio é compensar este aumento do número de pessoas envolvidas com o ganho de produtividade, melhorando os processos, investindo em novas tecnologias, como o processo de congelamento ou resfriamento de produto, para que possa ser ampliado o volume a ser produzido. É preciso melhorar a produtividade, ter a variedade de produtos, sem ampliar muito os custos operacionais. Mais Nordeste: Um outro estudo denominado Brasil Food Trends 2020: tendências internacionais que influenciarão o setor de alimentos no Brasil, realizado pela Federação das Indústrias de São Paulo, mostra que, além de produtos práticos, os consumidores também estão valorizando a origem e a confiabilidade dos produtos. Como o Sr. avalia o uso de matérias-primas de qualidade e a disposição do mercado para pagar por esta qualidade? Márcio Rodrigues: Acredito que isto mostra que o consumidor busca praticidade, conveniência nos produtos frescos, que já estão prontos para consumo. Mas eles precisam se sentir seguros. Ele precisa entender que esses produtos não fazem mal à sua saúde. Há a busca de produtos que são mais confiáveis, equilibrando a questão da comodidade, do sabor, mas principalmente a alimentação saudável. Essa é uma tendência muito forte, que é percebida no setor de panificação. Muitos processos de produção ou de acabamento são estrategicamente colocados à vista do cliente para mostrar todo o cuidado com a higiene e elaboração dos produtos. É importante que o cliente confie na marca da padaria ou do ponto de venda, para saber que ali se escolhe matériasprimas de qualidade, de fornecedores que também são confiáveis. Essa cadeia parte do consumidor que quer produtos de qualidade, mas quer também tranquilidade ao consumir esse produto. A empresa de panificação precisa utilizar isso na escolha dos seus fornecedores, que também precisam acreditar que a qualidade e respeito ao consumidor final são importantes

11

gastronomia

Lasagnetta clássica com ragu de carne Esta especialidade da cozinha italiana, apreciada em todo o mundo, foi o prato escolhido pelos clientes para ser apresentada aqui no Mais Nordeste. A escolha, desde o ano passado, é feita pelo site, a partir de sugestões da Escola de Gastronomia UCS/ICIF. A receita que você confere a seguir foi indicada e preparada pelo chef Franco Gioelli!

Ingredientes Massa • 4 Ovos • 400g Farinha de Trigo Especial Nordeste Massa Fresca • Molho Besciamella • 500ml Leite • 40g Farinha de Trigo Especial Nordeste Tipo 1 • 40g Manteiga • 2g Sal • 2g Pimenta branca • 2g Noz-moscada • 2g Louro

1

2

Misture os ovos com a farinha.

Amasse até obter uma massa lisa.

3

4

Estique finamente com o rolo.

Corte em quadrados de 7 x 7 cm.

5

6

Cozinhe a massa por cerca de 1 minuto em água fervente e salgada.

Estanque o cozimento mergulhando a massa em água com gelo.

7

8

Unte a forma com manteiga e monte a lasagnetta alternando camadas de massa, ragu, besciamella e queijo ralado.

Finalize com pedaços de manteiga. Asse no forno a 180ºC por 25 a 30 minutos, deixando gratinar.

Ragu de carne • 300g Carne bovina moída • 300g Lombo suíno moído grosso • 100g Tomate sem pele e picado • 150g Extrato de tomate • 200g Manteiga • 100ml Vinho tinto seco • 50ml Azeite extravirgem de oliva • 2g Alho • 2g Pimenta branca • 2g Sal refinado • 1l Caldo de verdura

Modo de preparo Comece preparando o ragu. Coloque o azeite e 50g da manteiga em uma frigideira, acrescente o alho inteiro e, em seguida, as carnes. Deixe dourar e regue com o vinho. Quando o vinho evaporar, junte o extrato de tomate, o tomate e cozinhe por 20 minutos. Acrescente o sal e a pimenta e deixe cozinhar por 1 hora em fogo baixo, acrescentando caldo quando necessário. Feito o ragu, parta para o besciamella. Derreta a manteiga, acrescente a farinha, deixando-a cozinhar até dourar. Adicione o leite aos poucos e deixe ferver por 5 minutos, mexendo sempre. Misture o sal, a pimenta, a nozmoscada e o louro. Reserve os molhos. A confecção da massa e a montagem do prato você confere no passo-a-passo!

View more...

Comments

Copyright � 2017 SLIDEX Inc.
SUPPORT SLIDEX